Você sabe a diferença entre depressão e estado depressivo?

Dados da OMS indicam que 300 milhões de pessoas sofrem de depressão em todo mundo e no Brasil os sintomas já atingem 11,5 milhões de pessoas

Atualmente, os meios de comunicação têm informado diversos casos de suicídio. Recentemente, fomos bombardeados com informações sobre adolescentes vítimas do jogo do suicídio “ Baleia Azul”. Muitas pessoas têm perdido a vontade viver, não sabem o que é felicidade, sentem um vazio, questionam a existência. Ficamos perplexos pois é difícil compreender tais sentimentos quando não entendemos a complexidade do ser humano nas suas diversas necessidades.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (0MS) cerca de 5,8% da população brasileira sofrem de depressão o que significa dizer que cerca de 11,5 milhões de pessoas tem a sintomática. Esse índice é o maior da América latina, e é o segundo maior nas Américas, atrás apenas dos Estados Unidos, que registram 5,9% da população com o transtorno, correspondente a um total de 17,4 milhões de casos.

Então, é importante primeiramente compreender a diferença entre Depressão e Estado Depressivo, e  assim seja possível buscar o tratamento específico.

A Depressão é uma doença que requer acompanhamento psiquiátrico e psicoterapêutico, precisa ser levada a sério, pois em muitos casos, a consequência é a perda da vida. A pessoa dorme e acorda com uma profunda tristeza, é algo que persiste.

O Estado Depressivo é ocasionado por fatores emocionais estressantes como perdas, decepções, frustrações, é um sintoma externo. A pessoa sente o luto, fica triste, mas tem início, meio e fim. Nesse estágio, é importante atenção pois com medidas preventivas, evita-se que desenvolva um quadro patológico. É aconselhável um diagnóstico de um profissional a fim de tratar a situação e extinguir os sintomas que podem se agravar caso não sejam tratados.

Alguns Sintomas da Depressão: Insônia, dores de cabeça constante, inquietação, pensamentos suicidas, falta ou excesso de apetite, tensão na nuca, ombros e dores no corpo, alteração de peso, imunidade baixa, cansaço exagerado.

Esteja atento a seu estado de equilíbrio  emocional e também de quem convive com você. Em tempos de crise, stress, adversidades que surgem com tantas mudanças sociais e econômicas, muitas pessoas podem ser surpreendidas com situações que levem a um desequilíbrio emocional.

Às vezes, vivemos em uma velocidade tão grande no nosso dia a dia e não percebemos que alguém que está próximo pode precisar de ajuda, sinaliza através da mudança de comportamento e de humor e não conseguimos detectar pois o ativismo nos impede de estarmos sensíveis ao outro.

Seguem algumas dicas para prevenir ou sair da depressão:

1 – Procure ajuda: O isolamento fortalece os sintomas. Converse com alguém que você confia.

2 – É importante tratamento psiquiátrico e  psicoterapêutico.

3 – Cuide da sua vida espiritual. Saber sua missão e propósito trarão respostas sobre o porquê da sua existência e para quê vale a pena viver.

4 – Cuide do seu corpo: Boa alimentação e exercícios físicos aumentam a serotonina.

5 – Desenvolva atividades que proporcione prazer e alegria.

6 – Resignifique situações que não sejam prazerosas. Aprender com a dor conduz ao crescimento e amadurecimento.

7 – Seja grato: Gratidão pelas mínimas coisas traz paz e diminui o peso das adversidades.

Deixo uma frase para meditar: “Somente os corajosos têm a capacidade de mudar sua história.”

Coragem é adquirida na batalha pela sobrevivência e a mudança acontece quando entramos em AÇÂO.

 

 

 

Rosilene Araújo

Coach,  Palestrante, Terapeuta de Família, Casal e Individual

Contato: 98832-5149 (rosilenearaujo@msn.com)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Catu Acontece - A Sua Revista Eletronica
2017 - 2019