Em mais um ano consecutivo Catu participa ativamente da campanha de valorização da vida e combate ao suicídio, denominada de setembro amarelo.

Na manhã deste dia (30), houve a culminância das ações preventivas e informativas, em pontos estratégicos do município.

A Prefeitura através das Secretarias, unidades de Saúde, o CAPS, CRAS, CREAS e escolas promoveram, ao longo do mês, diversas atividades para fomentar o diálogo e a reflexão junto à comunidade catuense. E para encerrar a campanha mensal, hoje, houve o grande evento “Encontro marcado: vamos falar de suicídio?”.

O evento contou com a participação de importantes profissionais que compõem os equipamentos que lidam com todas as nuances que envolvem a temática, como as secretárias de Saúde, Educação e Assistência Social, como também dos técnicos de cada Equipamento da rede, além da comunidade escolar da rede pública, que se fez presente para prestigiar a ação.

Várias atividades foram realizadas simultaneamente, na Casa Paroquial, no Coreto, na Biblioteca Municipal e no Março Zero, onde ocorreram, respectivamente, aula de yoga, com a professora Marion Bonfim; roda de conversa, com a participação de psicólogos da rede; curta metragem; e oficinas de arteterapia e fisioterapia, com profissionais do CEAM.

Nestas oportunidades os alunos, adolescentes, puderam interagir e se posicionar acerca do tema, valorizando assim o lema que evidencia a campanha, acreditando que o ato falar sobre o assunto é a melhor opção para o combate ao suicídio.

De acordo com Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo. No Brasil, a taxa de suicídio aumentou em consideração à global, que demonstrou uma queda de 9,8%. Mesmo cidades menores, como Catu, não mais escapam dos resultados devastadores deste acréscimo.

Assim, faz-se de suma importância dialogar junto à sociedade a respeito do tema, de modo profissional e consciente, promovendo o diálogo e a reflexão, a fim de desmistificar o suicídio e suas causas, para então traçar medidas de intervenção.

O processo de ouvir atentamente o outro, observar aquilo que não é colocado em palavras, a sensibilidade de preocupar-se com as pessoas em volta e a prática da empatia são ferramentas de fundamental valor para o enfrentamento do suicídio.

Todos nós podemos contribuir de alguma forma para espalhar o sentimento de valorização da vida, porém, o tratamento e acompanhamento profissional são indispensáveis para obtermos melhores resultados. Compreender a situação e pedir ajuda devem ser os primeiros passos nessa luta.

É importante ressaltar um ponto defendido pelos órgãos e profissionais, é que não somente durante o mês de setembro, mas em tudo ano, o tema necessita ser trabalhado. Tratar do assunto da firma correta colabora para a redução dos casos , como também para promoção do bem estar de quem acaba silenciando-se e enfrentando diversas questões em meio a solidão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Catu Acontece - A Sua Revista Eletronica
2017 - 2019