Catu: municípes denunciam que nova empresa de transporte público não está recebendo os vales transportes comprados na COTRAN

Desde a segunda-feira, 09 de maio, que municípes se queixam da nova empresa de transporte municipal, a Paixão Transporte, por não está recebendo os vales comprados pela população e que estão dentro do prazo de validade.

Segundo relato da população, existem pessoas que compraram um mês inteiro de passagem adiantado, e que estão sem poder utilizar o transporte, já que a empresa que venceu a licitação e assumiu q prestação de serviço há cerca de 4 dias, não recebe os vales transportes adquiridos pela população.

Nossa redação ouviu relatos de populares que estiveram hoje na Prefeitura Municipal de Catu, e testemunham que; um grupo composto por estudantes e mães de alunos, foram reclamar junto a gestão a devolução do dinheiro dos vales adquiro para uso no mês corrente.

A dona-de-casa Tamires Silva, entrou em contato a Revista, e nos relatou que foi agredida verbalmente por um dos seguranças da Prefeitura, que segundo a mesma chamou-a de “pessoa baixa” Logo após o ocorrido ela foi impedida de entrar na sala para uma interlocução com a gestão, onde por conta dessa negativa, teria acirrado os ânimos e a discussão poderia ter chegado a agressão corporal, se não tivesse a interferência de pessoas presentes.

” Me senti desrespeitada, porque eu não estava ofedendo ninguém, eu estava falando em tom alto, contando minha situação de mãe solteira, da luta para comprar os vales e portanto, queria meu dinheiro de volta, não foi agredindo verbalmente, até o momento que ele me chamou de baixa, e não me deu direito como deu a outras pessaos de entrar para falar com a gestão. Ali eu me exaltei, e foi a hora que levantei o dedo para ele. e pedi para me respeitar. Nessa hora que quase aconteceu agressão.” Contou Tamires.

As partes foram encaminhadas para delegacia, segundo relato, o próprio segurança da Prefeitura ligou para os PMs, mas Tamires enfatiza que ” não considera que foi ouvida devidamente, já que não teve como registrar um boletim de ocorrência, e relatar devidamente a sua versão, pois foi dito que apenas um boletim sobre o caso pode ser registrado.” A dona-de-casa ainda relata, que fez uma queixa na delegacia sobre a COTRAN por sentir-se lesada pela empresa, e por conta dos vales não recebidos pela Paixão Transportes, ” vou entrar também com um pedido para solucionar a questão sobre todo o caso ocorrido na justiça, já acionei um advogado.” Veja vídeo no instagram da Revista Catu Acontece. Segue link: https://www.instagram.com/reel/CdcP0tQvkyc/?igshid=YmMyMTA2M2Y=

Até o momento do fechamento da matéria, não conseguimos contato nem com segurança envolvido no caso e nem com a delegacia.

Segundo Rogério, responsável pela Cotran, o acordo foi que empresa estaria atuando até junho, conforme ajuste contratual firmado e registrado, e depois disso sim a paixão assumiria, portanto não houve má fé na venda dos vales, já que eles não esperavam que a paixão transporte assumisse antes. Ainda segundo o mesmo, a empresa ganhou a licitação com preço de passagem pactuado de R$ 2,47, mas está rodando pelo mesmo valor já praticado pela Cotran, e que a fez perder a licitação para a Paixão.

Já o responsável pela Secretaria de Serviços Públicos-SESP, Jose Carlos de Jesus dos Santos, conhecido como, “Zezinho”, relata que a Procuradoria do Município vai notificar a Cotran e também a Paixão, e destaca: ” na verdade a Cotran tem que devolver o dinheiro da população, se ela não vai prestar o serviço para o qual vendeu os vales tem que devolver.” Pontuou.

Entramos em contato com a Prefeitura, que enviou a seguinte nota sobre a questão:

A Prefeitura Municipal de Catu, vem a público informar que, diante da troca das empresas que ofertam o serviço de transporte público, foram notificadas a Cotran para que devolva o dinheiro daqueles passageiros que efetuaram a compra de vales transportes, bem como a Paixão Transportes para que preste esclarecimento quanto a divergência do valor da tarifa e o não cumprimento da Lei Municipal nº176/2004, que autoriza a gratuidade para passageiros de 60 anos. Veja abaixo prints do documento:

Donaire Verçosa

Dir. Jornalismo do Site Catu Acontece. Graduada e de família Catuense! Prezo pelo jornalismo imparcial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *