O PASSADO NO PRESENTE OU O PRESENTE NO PASSADO?

As canções são como lembranças guardadas no subconsciente da memória humana. As melodias trazem sensações e impressões dos momentos que marcaram a história de vida de cada pessoa

Por Ada Anjos

 

Na linha do tempo da memória estão as mais variadas lembranças. A primeira paixão, o primeiro beijo, a descoberta do amor, dos amigos. A dor da traição, do abandono, a experiência da primeira viagem, do casamento. A família, o filho, o crescer pra vida como tantas outras coisas. Nesse processo vívido e temporal, todos temos uma ou várias músicas que nos remete ao nosso passado, conduzindo a mente a um estado de degustação das mais variadas sensações.

O fim do carnaval em fevereiro, trouxe de volta as águas e a rotina em março, e agora chegamos no outono de abril, e breve mais uma celebração da páscoa. É o que acontece para todos, exatamente nessa ordem anualmente. Mas neste regresso ao ritual diário, ainda retine na mente as músicas que foram cantadas durante a temporada de desenfado.

Nunca se ouviu tantas canções de um tempo remoto, que fizeram sucesso no  passado e em outras épocas como agora, sendo tão tocadas nas casas de veraneios, nas praias, nos bares, nos carrinhos dos camelôs e nas pequenas apresentações de voz e violão, voz e teclado, bandas e outras formações nas praças e bares da cidade. É a glória do passado com toda sua energia, força e sentimento de volta ao presente. Mas não é somente a música carnavalesca que tem ressurgido com intrepidez em meio a água rala do caldeirão musical dos dias atuais. Muitos dos sucessos antigos da MPB, tem transcendido o tempo e o repertório atual do país, subindo ao palco com novos arranjos e transmitindo aos seus apreciadores os mesmos sentimentos e sensações de quando foram lançados.

Parece que a alma do povo em alaridos pede por uma arte que os faça sentir algo dentro de si, que não seja efêmero mas que lhes propiciem marcas de alegria, felicidade, paz, reflexão, como também um contato com a deidade. É o tipo de música que fala sobre o amor, a paixão, as coisas lindas da vida sem ser obtuso. É a letra que grita por justiça, pela verdade, acompanhada de ideologias pertinentes de mentes proficientes. São criações que comunicam com o agora, para que esse momento possa ser lembrado ao se ouvir essa mesma composição no futuro.

Se há uma busca e um retorno à músicas do passado, é porque está faltando melodias significativas para o presente, como aquelas que ao serem ouvidas trazem de volta o sabor e a sensação de estar revivendo o ano em que os bons e os maus acontecimentos se desencadearam na vida.

A linda composição “Ave Maria” do compositor Schubert  é um bom exemplo disso. Com suas variações interpretativas no horário das dezoito horas, que ao ser tocada havia uma reverência aos pais, aos avós ou a qualquer pessoa que tivesse mais idade, sendo representada com um pedido de bênção aos mais idosos e o ato de se benzer, sinônimo de respeito e proteção a si mesmo.  Ou a tão marcante e irreverente composição utilizada no programa de rádio: “A voz do Brasil” do compositor Carlos Gomes, no horário das dezenove às vinte horas. Geralmente era o horário em que o pai já havia chegado do trabalho e estava reunido com seus filhos e esposa ouvindo o programa ou, enquanto sua companheira preparava o café, ele mantinha-se sentado na frente de casa com um rádio a pilha observando as crianças brincarem na porta de casa.

 

Só quem viveu períodos onde as composições tinham um efeito mais marcante e se eternizaram pela propriedade intelectiva do compositor e a própria essência proeminente da obra, saberá entender as consequências idiossincráticas que elas produziram e que repercute até hoje ao serem executadas ao vivo ou ouvidas em qualquer aparelho eletrônico. Mas enquanto se espera por obras musicais que façam a diferença nos dias atuais, ainda ouviremos muita coisa do passado, o que não deixa de ser positivo e uma excelente solução. Nauseante seria se tivéssemos acesso apenas ao que está sendo criado hoje, isso sim poderia ser trágico para muitos.

 

Maestro Ada Anjos está disponível para:

Música para eventos, Arranjos musicais (orquestra, banda, coral), Aulas de instrumento, Transcrição de música para partitura (popular ou erudita), Composições musicais, Composições de poemas.

Tel: (071) 9638.4712 / 9105.6222 

 
Imagens: google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Catu Acontece - A Sua Revista Eletronica
2017 - 2019