Esporte

Técnico no Brasil é vaga de emprego permanente

A vida de técnico de futebol no Brasil não é nada fácil. O Brasil segue como um dos que mais demite no mundo. Um cenário nada favorável para o nosso futebol.

Neste ano, não diferente dos anos anteriores, os técnicos ainda são o alvo principal quando rendimento dentro de campo não corresponde. A falta de planejamento do elenco e o calendário ainda não são discutidos com a devida importância, e os clubes optam em resolver o que seria o mais prático.

Vanderlei Luxemburgo anunciou sua aposentadoria como técnico. Foto: Sportv 4

No atual cenário, os medalhões estão ficando para trás. O multicampeão Vanderlei Luxemburgo anunciou aposentadoria. O campeão do mundo pelo Brasil, na Copa de 2002, Luiz Felipe Scolari, que está no mercado chinês, revelou que não quer mais treinar no Brasil. Paulo Autuori, Muricy Ramalho, Abel Braga. Nomes que foram campeões, mas que foram contestados por serem taxados de ultrapassados. Os considerados da nova safra estão em alta, mas se não agradar, mesmo com aproveitamento acima da média, a demissão bate à porta. Eduardo Baptista, Argel Fucks, Cristóvão Borges são alguns dos técnicos que ficam pouco tempo no comando dos seus times.

O aproveitamento superior de 80% não segurou Argel Fucks no Vitória. Foto: Internet

Depois do terrível 7 a 1, tudo que vem da Europa virou ainda mais referência. O modelo de planejamento da seleção alemã foi e ainda é destacada até hoje.  Com isso, uma “reciclagem” para os técnicos começou a ser propagado nos programas esportivos, como se esse fosse o primeiro dos problemas do nosso futebol. O tal “ano sabático”, também repetido e enaltecido pelos comentaristas, se tornou um atestado de qualidade sine qua non no currículo do técnico.

Técnico Rogério Ceni em ação pelo São Paulo. Foto: SPFC

E ser técnico e ídolo do time ao mesmo tempo? Rogério Ceni, um dos maiores jogadores do São Paulo, tem vivido dias bem difíceis como técnico do time que foi tantas vezes campeão. A exigência por um título, a falta de experiência como técnico e a constante cobrança e críticas pelos métodos adotados são todos os dias bombardeados no cenário esportivo. Outro ídolo que não teve vida fácil foi Paulo Roberto Falcão. O maior jogador do Internacional já acumulou três passagens pelo time colorado, e na última ficou menos de um mês.

A regulamentação da profissão de técnico já passou da hora de ser uma exigência no nosso futebol. Assim como o jogador, técnico precisa de segurança no seu trabalho. O Brasil não pode seguir como o sexto país que mais demite técnicos no mundo. O futebol precisa de mudanças. O calendário e a quebra do monopólio são algumas das necessárias. O regulamentação da profissão do técnico também.

Redação

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com