Notícia

“Me chamou de biruta e cafona” desabafa a Psicológa vítima de Helcius Pitanguy deixada a deriva em ilha

A psicóloga Cristiane Correa Santa Catarina revelou detalhes do relacionamento com o herdeiro do renomado cirurgião Ivo Pitanguy.

Enquanto a denúncia contra Helcius Pitanguy, que teria largado a psicóloga Cristiane Correa Santa Catarina à deriva em uma ilha de Angra dos Reis, está avançando, a vítima tem dado detalhes do comportamento do ex-amigo nos 12 anos que se relacionaram.

Em conversa com o jornal O Globo, ela contou como era tratada pelo herdeiro do renomado cirurgião Ivo Pitanguy: “Eu sou uma pessoa low profile, small circle e introvertida, por isso preferi me afastar. Ele é ofensivo, já me chamou de biruta e cafona entre outras hostilidades”, afirmou ela.

herdeiro do renomado cirurgião Ivo Pitanguy, Helcius Pitanguy

Em seguida, a psicóloga contou como a briga começou: “Fiquei com muita raiva do que ele falou das minhas amigas, comecei a chamá-lo de ‘merda’ e decidi sair de lá. Antes da discussão, ainda comentei com o chefe que iria comer logo para não ir embora com fome”, contou, antes de dar mais detalhes da confusão:

“Os xingamentos mais graves começaram depois que amigas que estavam de lancha passaram para conhecer a ilha. Logo que elas foram embora, fui almoçar com Helcius, quando ele disse: ‘Não sabia que as tuas amigas eram todas putas, a mais bonita já veio aqui com dez amigos meus diferentes. Pior você que é puta virgem não deixa ninguém te tocar, por isso é pobre’. Eu retruquei, me levantei e bati o prato na mesa, mas ele continuou”, declarou.

Logo depois, a vítima relatou ter sentido falta de mulheres na ilha da família e, quando questionou o proprietário do local, recebeu uma resposta inusitada.

“Quando cheguei na ilha, duas funcionárias que eu conheço não estavam. Perguntei ao Helcius onde estavam Mara e Sônia, e ele respondeu: ‘Não vai ter mais mulher nessa ilha, agora só funcionários homens’. Rebati dizendo que o local se transformaria na ‘Ilha do Medo’ e que não gostaria de permanecer lá”, recordou.

“Os amigos o toleram”, afirma vítima
Após ser largada à deriva em uma ilha de Angra dos Reis, Cristiane Correa Santa Catarina revelou detalhes da amizade que tinha com Helcius Pitanguy, herdeiro do renomado cirurgião Ivo Pitanguy. Em um bate-papo com o jornal O Globo, a psicóloga relatou que o temperamento do então amigo sempre foi difícil.

“Somos amigos há 12 anos, só que ele é um sujeito de trato difícil, portanto, nesses 12 anos têm brechas de 5 anos sem vê-lo. Ele é assim, os amigos o toleram. Já estava acostumada com ele me corrigindo na frente das pessoas, dizendo que como uma psicóloga eu falo errado, já me chamou de biruta e cafona, mas nunca tinha sido dessa maneira”, afirmou ela.

E continuou seu desabafo: “A agressividade dele começa quando alguém diz não para ele, quando bebe ou quando ele não se sente o rei das atenções. Ele é muito ofensivo, mas se comporta como um ‘queridão’ entre os amigos até a página que o convém. Parece ter dupla personalidade, mas nunca vi nenhuma violência física”, declarou.

O caso foi registrado na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Angra dos Reis. A coluna entrou em contato com a Polícia Civil para obter informações, mas ainda não recebeu um retorno.

Entenda o caso

A psicóloga Cristiane Correa Santa Catarina, de 53 anos, registrou um inusitado boletim de ocorrência contra Helcius Pitanguy, herdeiro do famoso cirurgião Ivo Pitanguy. Ela disse que, no último sábado (15/6), tentou sair da ilha do ricaço, em Angra dos Reis (RJ), após brigar com ele, mas acabou ficando à deriva sobre uma prancha stand-up.

Segundo Cristiane, Helcius a buscou em casa, na Barra da Tijuca, ainda na sexta-feira (14/6). Ela foi à ilha privativa da família, a Ilha dos Porcos, onde se reuniu com um grupo de amigas.

Na versão da psicóloga, depois que as amigas foram embora, o herdeiro teria proferido palavras de baixo calão contra ela, como “puta virgem”, durante uma refeição.

Decidida a ir embora, e sem a ajuda de supostos marinheiros de Pitanguy, Cristiane teria entrado no mar com uma prancha de stand-up e um remo. Um dos marinheiros teria tentado resgatá-la com uma lancha.

No entanto, Cristiane diz que pulou de volta no mar ao perceber que a lancha voltaria para a Ilha dos Porcos, a mando de Helcius.

Perdida no mar

Ainda no boletim de ocorrência, Cristiane relata que remou por cerca de uma hora e tentou chegar à Ilha Roberto Marinho, mas teria sido impedida por um homem ríspido, que portava uma lanterna.

“Começou a gritar pedindo ajuda, os cachorros latiram e veio um marinheiro que, com rispidez e lanterna focada em seu rosto, pediu que ela saísse e voltasse para Ilha do Pitanguy, onde seria resgatada”, diz trecho do boletim de ocorrência.

Por fim, Cristiane foi resgatada e levada ao posto dos pescadores. Ela foi colocada em um carro de aplicativo e recebeu uma transferência, via Pix, de R$ 400 para pagar a viagem. Isso tudo segundo a versão dela mesma para a polícia.

A psicóloga disse que tem uma amizade de cerca de 12 anos de Helcius Pitanguy, mas que nunca tinha sido tão maltratada. Ela representou criminalmente contra ele por injúria. O caso é investigado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Defesa diz que psicóloga estava transtornada

Na terça-feira (18/6), a defesa de Helcius Pitanguy emitiu uma nota oficial comentando o caso de Cristiane Correa Santa Catarina, de 53 anos, que acusa o filho de Ivo Pitanguy de injúria e omissão de socorro. A psicóloga fugiu da Ilha dos Porcos, em Angra do Reis, na Costa Verde do Rio de Janeiro, depois de ser ofendida e xingada de “puta virgem”.

Segundo a assessoria jurídica do herdeiro do cirurgião plástico, representada pelo escritório De Piro Advogados, Cristiane saiu da propriedade de forma irresponsável, totalmente transtornada. Ela ainda teria tratado mal e ofendido alguns funcionários de Helcius.

“Amigos há mais de uma década, Helcius jamais a destratou, tendo-a recebido, e a seus convidados, no final de semana com alegria e cordialidade. Ao saber que Cristiane, após um desentendimento, havia saído irresponsavelmente de stand-up paddle da ilha em direção a outra ilha próxima, imediatamente solicitou a seus marinheiros Fabio Carneiro e Erasmo Carlos Alípio que fossem resgatá-la, levando-a com segurança até a cidade de Angra dos Reis, como era de sua vontade”, dizia o início do texto enviado ao jornal O Globo.

Os especialistas prosseguiram: “Durante o percurso, Fabio e Erasmo foram a todo o tempo destratados, ofendidos e humilhados por Cristiane – que parecia estar transtornada. Por essa razão, abriram um procedimento criminal contra ela na Delegacia de Angra dos Reis, no qual Cristiane responderá pelos crimes de injúria e ameaça. Helcius, de igual forma, promoverá as medidas legais cabíveis contra Cristiane em razão das ofensas e falsas acusações lançadas contra ele”.

O empresário ainda afirmou não ter sido acionado sobre a denúncia que a psicóloga fez à Polícia Civil. “Helcius Nascimento Pitanguy não foi comunicado da existência de Registro Policial por parte de Cristiane Correa em seu desfavor. Prontamente, no entanto, vem refutar veementemente as alegações veiculadas por ela na imprensa”, declararam.

Mais cedo, a Polícia Civil deu detalhes sobre o inquérito: “O caso foi registrado na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Angra dos Reis. Testemunhas estão sendo ouvidas e outras diligências estão em andamento para esclarecer os fatos”.

Redação

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com