Forúm Municipal de Políticas Públicas para Mulheres mobiliza autoridades e sociedade matense

Para fomentar políticas públicas que proporcionem o enfrentamento da violência contra mulher, foi realizado na Câmara Municipal de Mata de São João, um Fórum com a temática ‘Conscientização da Sociedade na Luta contra a Violência à Mulher’

A Prefeitura Municipal de Mata de São João, através da Secretaria de Ação Social, realizou na manhã dessa quarta-feira(13), na Câmara Matense, o Forúm Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, com intuito de discutir novas perspectivas para o enfrentamento da violência contra mulher na sociedade matense.

O Fórum teve representações da rede municipal, como as secretarias de saúde, educação, segurança, autoridades matenses, Ministério Público e estado. A vice-prefeita Lulu Cardoso, esteve presente, e para compor a mesa, o Presidente da Câmara Agnaldo de Lulu, e a secretária de Ação Social Mariane França. Já como palestrante,  se fizeram presentes Kaliana Fontes, da Secretaria Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres, Drª Luiza Amoedo(Ministério Público), o Sub-comandante  da Batalhão da Polícia Militar de MSJ, Marco Cézar Reis Gallo, e o delegado Territorial Euvaldo Costa dos Santos. Além da Enfermeira Viviane Almeida, do Hospital Municipal da cidade.

Na abertura do evento, o Presidente da Câmara ressaltou a importância do fórum para juntamente com a população, discutir caminhos a serem criados para melhores condições de vida, às mulheres que vivenciam a violência, seja ela de que aspecto for, física, psicológica ou patrimonial .

Após Agnaldo, a sec. de Ação Social Mariane França, pontuou em seu discurso, que “ o objetivo da promoção de ações voltadas para o combate à violência contra mulher seja efetivo, todos os órgãos municipais, estaduais e sociedade civil, precisamos estar engajados nessa luta, pois quando uma mulher é agredida, uma família é ferida, a sociedade é machucada, e esses reflexos permanecem por muito tempo na esfera social.”

Na sequência foi concedida a plenária para a fala a Drª Luiza Amoêdo, onde ela esclareceu na sua fala, e todos os presentes  puderam constatar, que o machismo impacta diretamente sob à violência contra mulher desde os primórdios dos tempos, é cultural, e é também possível ser desconstruído, se todos os mecanismos aptos para isso forem empregados, será modificada  a postura arcaica, se estes forem utilizados de forma eficaz e pró-ativa.  E juntamente com o Sub-comandante da BPM/MSJ, Marco Cézar Reis Gallo, e o delegado Territorial Euvaldo Costa dos Santos, compactuam que a denúncia é ferramenta essencial, para junto com as ações que visam combater a violência contra mulher,  quebrar o ciclo de vulnerabilidade social, tendo o efeito potencializado no sentido de por um fim a repetição desse comportamento abusivo e violento.

Segundo Kaliana Fontes, da Secretaria Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres, é preciso ajudar mulheres nessa situação: “devemos ajudá-las a entender que a violência para ser registrada, não basta ser só física ou sexual. Mas a psicológica, a patrimonial e a moral também destroem a auto-estima, a estrutura psicológica e a vida de uma mulher”, explica.

A parte cultural ficou por conta do Conservatório de música, que fez o público cantar junto logo na abertura do fórum, e as mulheres do CRAS (Centro de Referência da Assistência Social), apresentando seu samba de roda e maculelê, que abrilhantou o evento usando a  dança como grito de guerra em prol do respeito e direitos das mulheres na sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Catu Acontece - A Sua Revista Eletronica
2017 - 2019