Exercícios físicos regulares reduzem em 60% as chances de ansiedade, diz estudo

Estudo observacional acompanhou mais de 395 mil pessoas por um período de 21 anos, entre 1989 e 2010.

A lista de benefícios da atividade física é grande: condicionamento, reforço para os músculos e ossos, melhorias para o sono, além da sensação de bem-estar e relaxamento. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda pelo menos 150 minutos por semana de exercícios moderados para adultos saudáveis. Um estudo conduzido por pesquisadores da Suécia e dos Estados Unidos adiciona mais um item à lista.
Segundo a pesquisa, publicada no periódico Frontiers in Psychiatry,o exercício físico regular pode reduzir em até 60% os riscos para o desenvolvimento da ansiedade. Embora os impactos positivos da atividade física em relação à ansiedade já sejam conhecidos, os pesquisadores destacam que fatores como a importância da intensidade do exercício, os mecanismos específicos para homens e mulheres e a duração dos efeitos permanecem desconhecidos.
Para obter algumas respostas, os cientistas realizaram um amplo estudo observacional que acompanhou mais de 395 mil pessoas por um período de 21 anos, entre 1989 e 2010. O objetivo era entender se a participação em uma corrida de esqui Cross Country de longa distância, chamada Corrida de Vasa (Vasaloppet), de até 90 km, estava associada a um menor risco de desenvolver a ansiedade.
Os dados dos esquiadores foram comparados aos registros de indivíduos suecos que não participaram da corrida. Os pesquisadores consultaram as informações a partir do Registro Nacional de Pacientes da Suécia, que inclui diagnósticos psiquiátricos e somáticos, além de dados de diagnósticos primários e secundários em pacientes atendidos em cuidados hospitalares no país desde 1987.
De modo geral, os fisicamente ativos tiveram um risco significativamente menor de desenvolver ansiedade durante o acompanhamento em comparação com os que não esquiavam. O grupo dos esportistas incluiu 197.685 pessoas, com idade média de 36 anos, sendo 38% mulheres.
No entanto, o estudo destaca que entre as mulheres, aquelas que apresentaram desempenho físico superior, estimado a partir de fatores como o tempo de chegada para completar a corrida, tiveram uma associação com um risco aumentado de ansiedade em comparação com as esquiadoras mais lentas.
Em relação aos homens, o tempo de chegada da corrida não impactou significativamente no risco de ansiedade.
Estudos anteriores mostraram que, em geral, os esquiadores da Corrida de Vasa têm maior atividade física como lazer, fumam menos, têm uma dieta mais saudável e taxas mais baixas de mortalidade em comparação com a população sueca em geral.
“Nossos resultados apoiam as recomendações de prática de atividade física para diminuir o risco de ansiedade em homens e mulheres. O impacto do nível de desempenho físico sobre o risco de ansiedade entre as mulheres requer mais estudos”, diz o artigo.

Fonte: CNN

Foto:Alexandr Podvalny/Unsplash

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Catu Acontece - A Sua Revista Eletronica
2017 - 2019