Como se tornar uma pessoa mais autêntica

Num mundo onde a imagem exterior é enaltecida, é comum se deparar com pessoas que estão incorrendo num erro: sempre tentar agradar a todos.


O dilema descrito nesse artigo, vai desde o aspirante a artista que se sente impelido a cursar administração de empresas, ao,empreendedor nato que precisa abortar seus sonhos para seguir uma tradição familiar. Também o bailarino que sofre a pressão social para seguir outro rumo onde sua masculinidade não seja questionada pelos maliciosos, e por aí vai, os exemplos são diversos.


Mas o que estaria por trás desse comportamento? Por que alguém deixaria sua autenticidade de lado para ser mais um nesta gigantesca manada? Por que motivo abrir mão do seu jeito único de existir, perdendo de vista quem se é, abrindo mão de seus valores mais importantes?

Para responder estas perguntas é preciso considerar vários aspectos do ser humano e suas neuroses cotidianas. Poderia falar sobre a pressão de alguns pais sobre os filhos; da cobrança social sobre aqueles de personalidade ainda frágil; sobre a imaturidade ou a falta de coragem de tantos outros; a lista é pode ser interminável.
Caso você se sinta dessa forma, pressionado, seja bem-vindo a tudo aquilo que significa ser humano, afinal de contas, isso tudo só vem revelar uma fragilidade que é natural a todos nós. Fragilidade esta que, quando bem trabalhada, pode ser superada e se tornar uma grande fonte de recursos. Afinal de contas, nada é permanente pois a transitoriedade também é inerente à condição de ser humano.

Mas onde isso tudo converge? De que forma poderíamos sintetizar o tema, para que não nos percamos num discurso interminável?


Existem dois grandes medos que estão presentes em todos nós, nuns mais que noutros, obviamente. Estes medos são: o medo de não se sentir amado e o medo de se sentir excluído. É justamente isso que leva muitos a deixarem de lado seus sentimentos e opiniões, tornando-se influenciáveis, numa tentativa infrutífera de agradar a gregos e troianos.


Perceba que não adianta tentar fugir desses medos. Aceitar que eles existem nos bastidores das suas emoções é a melhor estratégia para aprender a administrá-los, e começar a fortalecer a sua mentalidade ao ponto de resistir, sempre que necessário, à esta tendência de querer agradar a todos. Neste processo maravilhoso de aceitação e crescimento, o que te espera é o refinamento da sua maturidade e a coragem para ser quem você é de verdade.

Vamos a algumas sugestões:


⦁ Então para dar os primeiros passos nessa direção de um encontro com seu verdadeiro eu, comece identificando seus valores e passe a ajustar seu comportamento para que eles estejam cada vez mais presentes em sua vida.


⦁ Segundo passo não menos importante, é começar a criar resistência a situações desconfortáveis, especialmente àquelas relacionadas a conflitos e confrontos, como quando você precisa negar um pedido de alguém. Para isso, é necessário que você comece a ter cada vez mais consciência de suas próprias emoções e desejos reais.


⦁ Por fim, comporte-se maneira assertiva, não agressiva, mesmo quando esta atitude tiver chance de não ser bem recebida. A intenção não é ser rebelde, a intenção é simplesmente ser você. Perceba que o mundo merece ver a sua verdadeira essência.

Mais sobre esse assunto? Você pode falar com Gabriel Habbib, que é coach especializado em desenvolvimento pessoal. Você pode entrar em contato com ele através do (71)99954-2207.

Gabriel Habbib

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Catu Acontece - A Sua Revista Eletronica
2017 - 2019