Colégio Ágappe comemora dia do soldado com diversas atividades

Em homenagem ao patrono do exército Luis Alves de Lima e Silva, o Colégio Ágappe realizou diversas atividades nas turmas dos alunos dos cursos do maternal, infantil, jardim um e dois

O Patrono do exército. Assim é conhecido Luis Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias, é o homenageado na atividade do colégio Ágappe nessa sexta-feira. O militar brasileiro (Duque de Caxias), nasceu no dia, 25 de agosto de 1803, na Vila de Porto Estrela, Rio de Janeiro, hoje mais conhecida como Duque de Caxias. Após a sua morte em 1878, o legado deixado em vida pelo militar, é lembrado no dia do soldado, e hoje alunos  do Ágappe anteciparam a celebração marchando e cantando em uma harmonia educativa.

Sara, aluna do Ágappe

Para a aluna Sara (7) o dia soldado significa ‘alegria’ e completa: “é legal comemorar esse dia porque a gente brinca, canta, marcha e entende a importância do soldado.” Explica.

O pequeno Pedro (3) sabe cantar a música inteira ‘marcha soldado’ e gosta de se vestir igual aos policias porque os vê como heróis: “gostei de me vestir de soldado, eles são pessoas legais, cuidam da gente”. Cita.

A professora Eva (48) disse que a escola busca sempre utilizar nas aulas as datas comemorativas para explicar a importância delas: ” o dia do soldado é importante para a sociedade, ensinamos as crianças para que quando elas sejam maiores, possam respeitar as autoridades” Concluiu.

Ana Carla ( ao lado de Evanildes com blusa mostarda)

A vice-diretora e coordenadora pedagógica Ana Carla, explica que as datas com ênfase escolar, são colocadas como prioridade para serem aplicadas em sala de aula: “a gente percebe a importância do poder cívico e explicamos com métodos didáticos aos alunos. O soldado guarda a nossa nação, fica responsável por resolver situações conflituosas. Apresentar esse contexto aos  alunos é algo de grande valia para nós. A vida é cheia de desafios e para a instituição, preparar os alunos para a vida é o alvo do colégio Ágape”. Finaliza.

Sobre Duque de Caxias

Luis Alves de Lima e Silva era o seu nome verdadeiro e, como patrono do Exército do Brasil, lutou muito pelo nosso país, para defender nossos direitos, fazendo grandes conquistas. Nasceu na Capitania do Rio de Janeiro, em uma fazenda, herdeiro de uma família da aristocracia militar portuguesa. Seu pai servia ao exército português no Brasil, época em que havia a iminência de um choque contra as forças napoleônicas na Europa, que resultaram, inclusive, na vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil. Esse fato, na época, fez com que o Brasil fosse elevado à categoria de Reino Unido, e também foi o que encaminhou o país à futura independência do Brasil. Ambos fatos, inclusive, transformaram no ano de 1833, a vida de Luis Alves.

O Brasil, ao tornar-se um país independente, adotou o governo imperial, tendo como líder D. Pedro I. Além disso, o exército passou por transformações, sendo associado à figura do imperador brasileiro e também às normas que foram criadas com a instituição da Constituição de 1824. A partir do ano de 1838, começaram a estourar no Brasil diversas revoltas separatistas, e nesse período, Duque de Caxias já era um oficial bastante respeitado, tendo conseguido grande parte de seu respeito por conseguir comandar a dissipação de revoltas desse período.

Em 1841, recebeu seu primeiro título nobiliárquico, sendo conhecido a partir de então como Barão de Caxias, referindo-se à cidade de Caxias, no Maranhão. Foi lá que seu exército conseguiu uma das mais célebres vitórias de Luis Alves de Lima e Silva. Foi elevado à conde, marques e, enfim, duque, no decorrer do segundo reinado. Ficou conhecido ainda por ser Senador do Império no Rio Grande do Sul, onde ainda recebeu o título de comandante-chefe do exército em operações, pelo Imperador Dom Pedro II. Caxias esteve ainda a frente de batalhas de repressão contra as investidas do Uruguai e da Argentina ao Brasil ao lado de outros comandantes célebres. Com General Osório, Duque de Caxias teve ainda mais vitórias ao combater diretamente as tropas de Solano Lopez, um ditador paraguaio na Guerra do Paraguai.

No ano de 1878, Duque de Caxias veio à óbito, mas seu nome jamais foi esquecido pelo Exército Brasileiro, tendo sua memória lembrada em datas como no Dia do Soldado e em cerimônias militares.

 

 

 

 

 

 

 

 

Reportagem: Donaire Verçosa e Roberval Silva

Fonte: www.todoestudo.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *